Terceirizados na limpeza do GDF estão sem salários e protestam na Praça do Buriti

postado em: Notícias | 0

Por Imprensa Sindiserviços-DF – Robson Silva
É extremamente grave e preocupante a situação financeira dos 188 empregados da Empresa MG Terceirização nos serviços de limpeza e conservação de diversos órgãos no Governo do Distrito Federal (GDF).

 

Há mais de doze dias que a empresa promete quitar o salário do mês de outubro e que deveria ter sido pago no último dia 7 de novembro – quinto dia útil do mês, juntamente com a metade do valor do tíquete alimentação deste mês, mas fica só na promessa.

 

Desesperados, com as dívidas atrasadas, muitos sem condições até para se alimentar e alimentar os seus familiares, os trabalhadores se reuniram para protestar na manhã desta quarta-feira (20), na Praça do Buriti, em busca de uma solução junto ao Governo do Distrito Federal (GDF), antes da Audiência de Conciliação marcada para a próxima terça-feira (26), às 15 horas, no Ministério Público do Trabalho (MPT), que reunirá as autoridades do GDF e os representantes da empresa, tendo sido solicitada pela direção do Sindiserviços-DF, sindicato que representa os trabalhadores terceirizados no Distrito Federal.

 

Antes da audiência, nesta quinta-feira (21), às 9 horas, os trabalhadores e a direção do Sindiserviços-DF decidiram realizar nova manifestação na Praça do Buriti e esperam ser recebidos pelos dirigentes do GDF.

 

Clima tenso

Durante o ato desta, o representante da MG Terceirização, em Brasília – a matriz fica no Rio Grande do Sul, informou para os trabalhadores que os proprietários da empresa estarão se deslocando para Brasília na próxima semana para tentar equacionar à situação.

 

Porém, não esclareceu como, o que deixou os trabalhadores e a direção do Sindiserviços-DF irritados diante de tanta indefinição e falta de compromisso e responsabilidade com a categoria.

 

A empresa alega que está sem receber suas parcelas contratuais com a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão do Distrito Federal (SEPLAG – DF), e que está sem condições financeiras para arcar com a folha de pagamento, tendo ajuizado Ação para tentar receber o quanto antes do GDF.

 

 

No entanto, sugere a presidente do Sindiserviços-DF, Maria Isabel Caetano dos Reis (Dona Isabel), o que poderá ser feito de imediato é a Seplag/DF pagar diretamente os trabalhadores com as parcelas contratuais que a empresa tem para receber do governo.

 

https://www.facebook.com/SindiservicosDf/posts/1307847406044004

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − nove =