Greve na limpeza e merenda escolar no DF se amplia nesta terça-feira (20)

postado em: Notícias | 0

 

Por Imprensa Sindiserviços-DF – Robson Silva 
Passando por sérias dificuldades financeiras com os constantes atrasos no recebimento dos salários e tíquete alimentação, cerca de 4100 trabalhadores terceirizados na rede pública de ensino no Distrito Federal (DF), entraram em greve a partir desta segunda-feira (19).

 

Segundo a direção do Sindiserviços-DF, sindicato que representa a categoria, 2300 empregados da Empresa Juiz de Fora, juntamente com 300 da Empresa Servegel nos serviços de limpeza e conservação, mais 1500 cozinheiras (os) da Empresa G & E Serviços, decidiram que só retornarão aos postos de trabalho da Secretaria de Estado da Educação (SEE/DF), quando receberem seus vencimentos do mês de outubro, o que já deveria ter sido pago pelas empresas desde o ultimo dia 7 de novembro, 5º dia útil do mês.

 

Nas escolas das regionais de ensino de Sobradinho, Planaltina, Samambaia, Gama, São Sebastião, Santa Maria, Recanto das Emas, Paranoá e Plano Piloto, os serviços foram prestados somente por 30% dos trabalhadores, conforme determina a lei, explicou o sindicato.

 

 

Os sindicalistas também informaram que a Empresa G & E Serviços comunicou que depositará ainda hoje o tíquete alimentação e até sábado o salário atrasado. As demais empresas e nem a Secretaria de Educação, até o fechamento da matéria, nada disseram sobre a quitação da divida com os terceirizados.

 

Enquanto isso, as contas da auxiliar de serviços gerais Maria de Jesus – nome fictício por medo de represália, estão todas atrasadas e recentemente, explica, foi despejada por falta do pagamento do aluguel e está morando de favor na casa de parentes.

 

Os diretores do Sindiserviços-DF participaram de audiência pública no Ministério Público do Trabalho (MPT), ocasião em que os representantes da Empresa Juiz de Fora condicionaram à quitação da divida com seus empregados somente quando receberem as parcelas contratuais atrasadas da SEE/DF.

 

A direção do sindicato externou a indignação da categoria, destacando que a partir desta terça-feira (20) o movimento paredista nas escolas deverá receber ainda mais adesões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 3 =