Sindiserviços-DF é contra demissões de terceirizados  na UnB e CUT convoca sociedade para a Greve Geral

postado em: Notícias | 0

Por Imprensa Sindiserviços-DF e CUT Brasília 
A presidente do Sindiserviços-DF, sindicato que representa os trabalhadores terceirizados da Universidade de Brasilia (UnB), Maria Isabel Caetano dos Reis (Dona Isabel), participou de assembleia geral realizada nesta terça (20) com os trabalhadores terceirizados na UnB.

 

De forma enérgica e indignada Dona Isabel convocou todos os trabalhadores terceirizados na UnB, juntamente com a comunidade universitária, para protestar contra à politica covarde do governo golpista do investigado Michel Temer (PMDB) e que vem reduzindo os investimentos em educação e provocando o desempregando de centenas de país e mães de família.

 

Na oportunidade, a CUT Brasília, representada pelo secretário de Finanças, Julimar Roberto, intensificou o debate sobre a importância da adesão e participação na Greve Geral do dia 30 de junho, movimento que vem sendo convocado pelas centrais sindicais de trabalhadores como instrumento de repúdio às reformas nefastas do governo golpista e que visão retirar direitos e conquistas históricas da classe trabalhadora brasileira.

Demissões na UnB
Os cortes de pessoal e serviços na UnB são decorrentes da redução orçamentária destinada à educação, como já prevista com a instauração do golpe no país. Além dos trabalhadores terceirizados, o número de estagiários e outros profissionais também será reduzido nos quatro campí da universidade. A reitoria alega um déficit de R$ 80 milhões e, por isso, a necessidade do ajuste.

 

O problema orçamentário já atinge outras universidades públicas no país. No entanto, a adversidade tem unificado a luta de trabalhadores e estudantes por uma educação de qualidade. “Foi extremamente importante conseguirmos realizar uma assembleia unificada, como há muito tempo não se via na UnB. Sabemos que a única forma de barrar as reformas e as demissões é através da unidade”, enfatizou o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Fundação da Universidade de Brasília (Sintfub), Mauro Mendes.

 

Julimar Roberto, destacou ainda, que é fundamental manter a mobilização e unidade para que a categoria não seja afetada.

 

“Os trabalhadores não podem ser prejudicados pelo descaso do governo golpista com a educação pública. Existem outros meios de combater esse problema sem atingir o trabalhador. Precisamos nos unir e mostrar que não aceitaremos esse absurdo”, disse.

 

Também participaram da assembleia os dirigentes do Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal ( Sindesv-DF), a deputada federal e presidente do PT/DF, Erika Kokay, estudantes e outras instituições estiverem presentes. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 8 =