Sindiserviços-DF participa dos 51 anos da Ceilândia

postado em: Notícias | 0

Por Imprensa Sindiserviços-DF – Robson Silva

Para comemorar os 51 anos da cidade Satélite de Ceilândia no Distrito Federal (DF), completados no último domingo 27, a Câmara Legislativa (CLDF) realizou na segunda-feira 28 a noite, Sessão Solene na Escola Parque de Ceilândia Anísio Teixeira.

O evento foi requerido e coordenado pelo deputado distrital Chico Vigilante (PT/DF) e contou na mesa dos trabalhos com a participação de inúmeras lideranças locais, entre as quais, a presidenta do Sindiserviços-DF, sindicato das trabalhadoras e dos trabalhadores terceirizados no DF, Maria Isabel Caetano dos Reis – Dona Isabel.

Na sua fala, Dona Isabel, que é moradora do Setor P Sul daquela Satélite desde 1979, agradeceu a oportunidade de estar representado a sua categoria, externando ter imenso orgulho e felicidade de ser moradora da Ceilândia.

Presente na homenagem, o diretor de Comunicação e Imprensa do Sindiserviços-DF, Antônio de Pádua Lemos, também morador do Setor P Sul, disse à reportagem que a Ceilândia é moradia e local de trabalho de diversos colegas de profissão.

Foi o crescimento do comércio, indústria, repartições públicas e condomínios, um dos principais temas da fala de abertura do deputado Chico Vigilante.

Tendo externado o quanto o crescimento expressivo da economia local tem contribuído para a geração de muitos empregos, principalmente para os moradores de Ceilândia, disse.

Também foi destaque e emocionou o auditório lotado da Escola Parque Anízio Teixeira, a interpretação do Hino Nacional Brasileiro pelo sanfoneiro Luiz Gonzaga da Rocha, o Luizão, considerado patrimônio cultural de Ceilândia.

 

 

O que levou ao deputado Vigilante convidar a Orquestra de Sanfoneiros de Ceilândia para apresentar a música Asa Branca, de Luiz Gonzaga.

 

 

História
A cidade surgiu como resultado da Campanha de Erradicação das Invasões (CEI) criado pelo governador do Distrito Federal Hélio Prates da Silveira com objetivo de combater o problema de favelização do DF. Para se ter uma ideia, segundo informações do site da Administração Regional de Ceilândia, em 1969, Brasília já tinha 79.128 favelados, que moravam em 14. 607 barracos, para uma população de 500 mil habitantes em todo o Distrito Federal.

Em 1971, já estavam demarcados 17.619 lotes de 10×25 metros, numa área de 20 km2. Localizada ao norte de Taguatinga, nas antigas terras da Fazenda Guariroba de Luziânia (GO), a região destinava-se à transferência dos moradores das invasões do IAPI; das Vilas Tenório, Esperança, Bernardo Sayão e Colombo; dos morros do Querosene e do Urubu; e Curral das Éguas e Placa das Mercedes.

À época, essas invasões estavam com mais de 15 mil barracos e mais de 80 mil moradores. Mais tarde, em 1988, a área foi ampliada para 231,96 km2.

Com informações de Francisco Espínola – Agência CLDF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

20 − 20 =