Terceirizados na limpeza dos hospitais públicos estão novamente sem salários e em greve

postado em: Notícias | 0

Por Imprensa Sindiserviços-DF – Robson Oliveira Silva

 

 

Pela segunda vez somente neste ano, cerca de três mil trabalhadores terceirizados na limpeza do Hospital Distrital de Brasília (HDB), Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), Instituto de Saúde Mental (FHDF), Hospital de Apoio de Brasília (HAB) e os hospitais de Santa Maria, Planaltina, Sobradinho, Gama e em vários postos de saúde da rede pública de saúde do Distrito Federal (DF), ainda não receberam o salário do mês e decretaram greve por tempo indeterminado.

 

A direção do Sindiserviços-DF, sindicato que representa os trabalhadores terceirizados no DF, informa que os trabalhadores estão indignados com essa perversa rotina no atraso dos seus salários e benefícios e que tem ocorrido nos últimos dois anos.

 

Os sindicalistas têm cobrado da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) e das empresas contratadas para a prestação de serviços, o compromisso com à regularização do pagamento mensal dos salários e benefícios dos trabalhadores terceirizados, principalmente nas audiências realizadas no Ministério Publico do Trabalho (MPT) e na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE/DF).

 

É o que explica Andréa Cristina da Silva, secretária Geral do Sindiserviços-DF, deixando claro que às questões de relacionamentos contratuais entre o GDF e as empresas que contrata, não podem de forma alguma atingir e prejudicar os trabalhadores, disse.

 

 Destacando as normas das garantias trabalhistas e que estão contidas na Lei das Licitações (8.666/93), na Convenção Coletiva de Trabalho da Categoria, na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e na Constituição Federal (CT).

 

 Os patrões alegam que estão sem contrato, com dividas de 2014 e que há três meses não recebem as parcelas das verbas indenizatórias pela prestação de serviços para a Secretaria de Saúde.

 

A secretaria Geral do Sindiserviços-DF também informou que os trabalhadores decidiram que só retornarão para os seus postos de trabalho quando receberem o salário atrasado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − catorze =