Por Imprensa Sindiserviços-DF – Robson Silva

Antonio de Pádua, sindiserviços-DF, fala para a plenaria 

 

Durante a assembleia extraordinária na manhã desta terça-feira (08/05), organizada pelo Sindiserviços-DF, sindicato que representa os trabalhadores terceirizados na Universidade de Brasília (UnB), que contou com o apoio do Sintifub (Sindicato dos Trabalhadores da Fundação Universidade de Brasília), na Praça Chico Mendes no Espaço Multiuso, trabalhadores, servidores, sindicalistas e alunos protestaram contra a demissão de 457 trabalhadores terceirizados e a falta de empenho da reitoria em evitar as demissões.

 

Dos 15 contratos distribuídos em 10 empresas, já estão de aviso prévio 183 terceirizados na limpeza e conservação da Empresa RCA, 38 vigilantes da Empresa Life Defense, 15 recepcionistas da JAG, 23 marceneiro e outras funções da Ágil, 20 motoristas da Ágil, os 40 jardineiros da Ágil e não haverá novo edital, 12 agropecuários da Agil, 11 pintores da Cetro, 80 porteiros da SS, 17 carpinteiros da RCS e 58 apoio e copa da Ágil.

Dos 457 terceirizados que já estão de aviso prévio, segundo a planilha que a Imprensa Sindiserviços-DF teve acesso exclusivo, 3 garçons da HPEX, 6 apoio à Editora da Empresa Liderança, 3 coletores de resíduos da DiskLimpeza, ainda não foram dispensados.

 

Trabalhadora manifesta sua indignação com a UnB

 

Porem, 22 almoxarifes da Ágil aguardam definição da UnB quanto ao termino do contrato.

 

No ano passada, 174 trabalhadores terceirizados foram demitidos nos serviços de limpeza, conservação e portarias. 

 

Antonio de Pádua Lemos, diretor de Comunicação e Imprensa do Sindiserviços-DF, ressalta a exploração dos serviços de limpeza e conservação que já tinham o insuficiente quadro de 455 trabalhadores.

 

Com a nova redução de 183 profissionais, disse, agora serão 272 pessoas para limpar os 320 mil metros quadrados das áreas internas e externas de todos os câmpus da UnB.

 

 Isso, continuou, com certeza intensificará a exploração dos serviços, pois os trabalhadores certamente serão obrigados a terem que executar os serviços de jardinagem e que eram executados pelos 40 jardineiros que foram demitidos.

 

Câmara e MPT

Deputada Erika Kokay (PT/DF)

 

Numa assembleia tensa e com inúmeras denuncias de retaliação das empresas nos trabalhadores que aderiram ao movimento grevista deflagrada na semana passada, justamente para tentar evitar as demissões, a deputada federal e presidenta do PT/DF, Erika Kokay, informou que já requereu audiência na Comissão de Educação (CE) e na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP) da Câmara dos Deputados, na qual o ministro Educação (MEC), Rossielli Soares, deverá ser convidado para explicar e esclarecer os pontos referentes aos insuficientes repasses orçamentários para a administração e manutenção da UnB.

 

Por outros lado, o dirigente do Sindiserviços-DF explicou que o sindicato tem mantido constantes interlocuções com os gestores dos contratos e com a reitoria da Universidade na tentativa de revogar os avisos prévios.

 

O sindicato, disse Pádua, também tem intensificado gestão junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT) na eminência da realização urgente de novas audiências públicas envolvendo os membros da reitoria, os representantes das empresas, os diretores do Sindiserviços-DF e do Sintfub e os procuradores do trabalho, visando debelar à crise.

Estudantes apoiam a luta dos terceirizados 

 

Já o deputado distrital Chico Vigilante (PT/DF) tem constantemente denunciado as demissões junto ao MPT, como também tem feito pronunciamentos na Câmara Legislativa alertando a sociedade para a séria crise financeira e que está sendo imposta à UnB, disse o assessor Edimilson Rodrigues, representando o parlamentar.