Terceirizados na Justiça Federal também aderem o movimento paredista pelo mesmo motivo 

 

Imprensa Sindiserviços-DF

Na manhã desta quinta-feira 16, a direção do Sindiserviços-DF, sindicato que representa os trabalhadores terceirizados na limpeza e conservação dos Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB) e nos Hospitais Regionais de Ceilândia, Taguatinga, Samambaia e no Hospital e Posto de Saúde de São Sebastião, informou que os quase 700 empregados da Empresa Ipanema ainda não receberam os seus salários e a greve continua. 


Neste ano, destaca o sindicato, as empresas prestadoras de serviços para a Secretaria de Estado da Saúde (SES/DF), já atrasaram o pagamento dos seus empregados nos meses de janeiro, fevereiro, abril, maio e agora no mês novembro.

 

O salário trabalhado do mês outubro deveria ter sido pago para os cerca de 700 trabalhadores da Ipanema no ultimo dia 7, 5º dia útil do mês. 


Mesmo com 7 dias de atraso, depois que os trabalhadores cruzaram os braços na terça-feira 14 passada, a Empresa Dinâmica pagou os salários dos seus cerca de 600 empregados nos serviços de limpeza e conservação nos Hospitais Regionais de Planaltina, Paranoá, Sobradinho, Asa Norte, Fundação Hemocentro de Brasília e a Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs), que normalizaram os serviços.

 


JUSTIÇA FEDERAL EM GREVE

Quem também amanheceu em greve por falta de salários, que também deveria ter sido pago no dia 7 passado, foram os 143 mensageiros terceirizados no prédio da Justiça Federal em Brasília.

 

O Sindiserviços-DF informa que os trabalhadores decidiram que só normalizarão os serviços, depois que a Empresa EPIC Empreendimentos Eireli quitar a divida com a categoria.