set 20, 2017

 

Por ampla maioria, os trabalhadores terceirizados aprovaram a pauta de reivindicações da campanha salarial de 2018, na tarde desta quarta (20). Agora, cabe ao Sindiserviços a tarefa de negociar com os patrões.

 

A proposta votada, que será apresentada ao setor patronal, traz a reivindicação de um reajuste de 6%, R$ 35 no tíquete alimentação e a manutenção de todas as cláusulas já existentes na atual Convenção Coletiva de Trabalho.

 

 

Para a presidenta do sindicato, Isabel Caetano dos Reis, se não houver união dos trabalhadores nesse início de campanha, o rolo compressor dos golpistas vai passar por cima de cada um e cada uma. “Esse ano vamos ter que brigar muito pra manter as cláusulas que já temos e, mais ainda, para alcançarmos novas conquistas. Mas, não esmoreceremos. Vamos continuar firme na luta”, garantiu.

 

O presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto, participou da assembleia e reforçou a importância de manter a unidade. “O sindicato é o nosso instrumento de luta. Se sozinhos somos frágeis, unidos em categorias temos condições reais de reivindicar direitos e negociar melhorias”, afirmou.

 

#AnulaReforma

Na oportunidade, Britto apresentou aos trabalhadores terceirizados a campanha pela anulação da reforma trabalhista promovida pela CUT, explicando a necessidade de barrar a medida e apresentar um Projeto de Lei de Iniciativa Popular que atenda as reais necessidades dos trabalhadores.

 

Ele alertou que caso ela entre em vigor, os trabalhadores perderão direitos duramente conquistados através de muita luta. “Com a reforma, os trabalhadores e trabalhadoras perdem todas as garantias, inclusive de pagamento. Por isso, precisamos de muito empenho para angariarmos o máximo possível de assinaturas e anularmos esse grave ataque . Essa luta é de todo o conjunto da sociedade, pois atinge a todos, nesta e nas futuras gerações”, declarou.

 

Fonte: CUT Brasília