Sete dicas para você confraternizar no Natal correndo menos riscos de contrair Covid

| 0

Especialistas afirmam que não existe reunião sem riscos, mas é possível fazer uma festa com alguma segurança, desde que seja com pessoas que já convivem nas mesmas casas e todos sigam regras sanitárias. Confira

 Publicado: 07 Dezembro, 2020 – 08h30 | Última modificação: 07 Dezembro, 2020 – 08h53

Escrito por: Marize Muniz

 EDSON RIMANATTO/CUT
notice

Apesar de os especialistas afirmarem que não existe reunião sem riscos, é possível se confraternizar neste Natal desde que as famílias se adaptem ao novo normal imposto pela pandemia do novo coronavírus.

Todos são responsáveis neste momento especial

Entre as sete dicas para confraternizar no Natal sem correr risco que o Portal CUT separou, as principais são: 1) não reunir núcleos de famílias diferentes, e 2) evitar reunir grupos grandes demais em suas casas ou apartamentos, pois se um assintomático estiver entre os presentes pode  transmitir a doença para todos os convidados.

E mais, este ano, as pessoas terão de refletir, organizar a festa com muito mais cuidado e atenção e até negociar com os familiares escalas para evitar a contaminação. O ideal mesmo, dizem os infectologistas, é não fazer festas porque o risco sempre há, seja em locais abertos ou fechados, com poucas ou muitas pessoas que vão confraternizar, vão se abraçar, beber, enfim, se descuidar.

Mas, como todos sabem que as festas acontecerão, especialistas e entidades da área da saúde nacionais internacionais afirmam que uma das principais recomendações para se proteger contra a Covid-19 é evitar aglomerações em pequenos ambientes. Os mais severos sugerem festas remotas.

Confira as dicas para um Natal seguro:

1) É possível se reunir com segurança?

Apesar de alguns especialistas dizerem que a aposta mais segura é não ter reunião de Natal este ano, sim, é possível fazer uma festa com segurança, desde que essa reunião seja com pessoas dos mesmos grupos familiares, que já estão convivendo umas com as outras na mesma casa nos últimos meses e que estejam adotando medidas para reduzir a disseminação da Covid-19, como o uso de máscaras, álcool em gel, distanciamento social, limpeza da casa e de tudo que é adquirido etc.

O ideal é reunir no máximo entre oito a dez pessoas nessas festas.

Com os demais grupos, o ideal é a as reuniões sejam virtuais.

2) O que fazer quando a família é grande?

Alguns especialistas sugerem que as famílias maiores negociem, façam uma escala e reúnam grupos de, no máximo, oito pessoas por vez – um grupo vai no jantar do dia 24 e outro no almoço no dia 25 -, por exemplo.

3) Que grupos não devem ir as festas de jeito nenhum?   

Os riscos são maiores para pessoas com doenças crônicas, como hipertensão e diabetes. Essas não devem ir de jeito nenhum as festas. Quem  tem contato com essas pessoas também deve evitar ir as festas. Os obesos, jovens ou velhos, todos terão problemas graves caso se contaminem, e também devem evitar as confraternizações.

Pessoas que não seguem as regras de distanciamento social, uso de máscaras e lavagem de mãos, devem evitar os encontros porque colocarão todos os familiares em risco.

Pessoas com sintomas ou que tiveram contato com alguém com Covid-19 confirmada devem ficar longe das festas e cumprir uma quarentena de duas semanas.

Entre os sintomas de Covid-19 estão febre,  dor de cabeça, coriza , diarreia,  vômito, náusea, falta de ar,  dor de garganta e  perdas de cheiro e paladar.

4) Existe um lugar ideal para as reuniões presenciais com menos riscos de contaminação?

O ideal é que nos espaços as pessoas possam ficar 1,80m longe umas das outras, e que sejam lugares abertos, especialmente se a festa for também para pessoas de núcleos familiares que não convivem na mesma casa.

Em lugares fechados, é preciso manter todas as janelas abertas para ventilar o ambiente.

Seja lugar aberto ou fechado, especialistas orientam as pessoas a usarem máscaras e tirarem apenas quando forem comer ou beber. É preciso ter atenção máxima quanto ao distanciamento porque as pessoas vão tirar a máscara e continuar conversando.

5) O que as pessoas devem evitar fazer nas festas?

As pessoas devem evitar cantar porque quanto mais alto se fala ou canta, maior o risco da disseminação de partículas.

6) Que atividades no fim de ano aumentam o risco de contrair Covid-19?

Aeroportos e ônibus lotados, postos de gasolina e paradas de descanso nas viagens de carros e claro, estabelecimentos comerciais lotados.

7) Um resumo das regras recomendadas para se proteger neste Natal:

– Distanciamento social;

– Nada de beijos e abraços;

– Tirar os sapatos na entrada;

– Abusar do uso do álcool em gel e lavar as mãos, em casos de contatos pessoais;

– Evitar levar as mãos ao rosto;

– Uso de máscaras quando no elevador e se não estiver ingerindo comida;

– Não compartilhar objetos pessoais como copos, pratos e talheres;

–  A ceia deve ficar em no fogão ou numa bancada distante da circulação de pessoas para reduzir o contato;

– Estimular que crianças higienizem as mãos e não compartilhem brinquedos;

–  Não comparecer às festas familiares se tiver algum desses sintomas: febre,  dor de cabeça, coriza , diarreia,  vômito, manchas no corpo, náusea, falta de ar,  dor de garganta e  perdas de cheiro e paladar e;

– Para famílias muito grandes, recomenda-se também dividir os membros em dois grupos e realizar dois encontros na véspera e no dia de Natal.

https://www.facebook.com/SindiservicosDf/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 3 =